Alguns gostam do verde, outros do azul, enquanto há quem prefira o vermelho. Independentemente disso, quase todos possuem uma cor preferida. Mas você já parou para pensar nas emoções, sentidos e intenções transmitidas por cada uma das tonalidades, principalmente na hora de elaborar uma embalagem atrativa para os consumidores? Esse é um dos vários objetivos do campo de estudos chamado de psicologia das cores.

Para explicar detalhadamente como a psicologia das cores funciona e qual sua importância quando o assunto é conquistar a atenção dos consumidores e prospects, apresentamos este post. Confira!

O que é a psicologia das cores?

O que podemos chamar de estudo moderno das cores começou com o físico e matemático Isaac Newton (1643-1727). Newton descobriu, entre outras coisas, que quando uma luz branca incide em um prisma, decompõe-se em um feixe colorido.

Com isso, chegou a conclusão de que todas as cores se unem para formar a luz branca e que as cores dos objetos são definidas pelo fato de que eles refletem mais determinados tons do que outras.

Anos depois, Johann Wolfang von Goethe (1749-1832) formulou a Teoria das Cores, que se aproxima mais dos conceitos utilizados hoje em dia. Para ele, a cor não depende somente dos aspectos físicos do objeto e sim de sua combinação disso com a percepção dos olhos humanos. Isso faria com que a identificação de um determinado tom fosse subjetiva, mas a sua influência igual em todos.

Com isso, podemos definir a psicologia das cores como o campo de estudo que busca identificar e analisar como as cores influenciam o comportamento humano, interferindo nas emoções e nos sentidos.

Ou seja, a psicologia das cores busca entender as tonalidades além de um mero fenômeno ótico, compreendendo sua dimensão a partir de seus significados próprios e de como eles estimulam determinadas reações no cérebro humano. 

Além disso, as cores têm muita relação com as preferências pessoais, diferenças culturais e experiências individuais, fatores que também podem alterar as formas de perceber um objeto ou uma mensagem.

Para entender isso melhor, basta pensar em um exemplo simples que ocorre frequentemente no cotidiano: nossa cultura nos faz relacionar quase instantaneamente a cor preta com a morte e o luto, enquanto associa o branco com a paz, sem que para isso precisemos sequer raciocinar a respeito.

Essa influência das cores pode ser percebida em diversas atividades humanas: nas artes — pintura e cinema, por exemplo , moda, decoração, no design, na publicidade e no marketing, inclusive durante a elaboração de embalagens.

Qual a influência das cores nas embalagens?

Quando falamos que um produto é atrativo, estamos quase sempre nos referindo a questões visuais. Claro que formatos criativos, tatos diferenciados e aromas contribuem, mas o que na maioria das vezes conquista o cliente é o visual, o que inclui a cor. 

E existem dados que comprovam isso. Pesquisa apresentada no Quick Sprout mostra que 92% das pessoas dizem que o visual é o aspecto que mais afeta a decisão de compra e 85% apontam a cor como a razão primária para isso.

Logo, é muito importante escolher com cuidado a cor que predominará em uma embalagem, já que ela precisa despertar o interesse e destacar o produto em meio as diversas opções existentes no mercado.

Como escolher as cores para uma embalagem?

Em um primeiro momento, as cores adotadas precisam combinar com a identidade visual do produto. É inevitável lembrar do exemplo da Coca-Cola e suas inconfundíveis embalagens vermelhas.

Uma embalagem com cores organizadas e bem escolhidas também é capaz de transmitir confiança e a ideia de qualidade ao consumidor. Essa elaboração cuidadosa faz com que a marca seja percebida como um referencial de cuidado e profissionalismo.

Por fim, além de ser um atrativo, as cores podem ser aliadas na transmissão dos valores da marca. Pense, por exemplo, em um sabão em pó biodegradável que quer demonstrar na embalagem sua preocupação com o meio ambiente e a sustentabilidade. Qual cor ele deveria adotar para reforçar essa mensagem?

Seja qual for a cor escolhida, testes e estudos prévios sempre serão necessários para determinar aquelas com maior potencial de trazer bons resultados.

Quais os significados das principais cores?

Para ajudar na transição da teoria à prática, listamos abaixo os significados mais comuns para as principais cores.

Vermelho

O vermelho é uma das mais tradicionais cores do mundo da publicidade e do marketing e desperta sentimentos como amor, paixão e fome. É só pensar nas cores do McDonalds para perceber isso. Também incentiva a urgência e a tomada de decisões rápidas.

Azul

No geral, o azul transmite a ideia de limpeza. Em alguns contextos, ele estimula a criatividade e diminui o apetite. Em tons mais escuros, traz a sensação de sobriedade, segurança e tranquilidade. Relaciona-se ao céu, que sempre está lá, daí a idéia de estabilidade e paz.

Verde

Assim como o azul, reforça a sensação de limpeza, frescor e preocupação com questões ambientais. Também desperta sensações de harmonia e tranquilidade.

Amarelo

Tem a capacidade de aumentar o apetite, do mesmo modo que o vermelho. Por isso está presente em logos de restaurantes, como o já citado McDonalds. Quando utilizada sozinha, reforça o otimismo, além de chamar a atenção em locais onde é preciso ter cuidado.

Preto 

Destaca-se pela sua neutralidade e impessoalidade, além das sensações de medo e mistério. Pode também estar ligada a idéia de poder, autoridade ou sofisticação. Quando combinada com outras cores pode transmitir uma gama de sentimentos, como elegância, inovação ou tradição.

Branco

Tal como o perto, o branco é notório pela sua neutralidade, além da sensação de pureza, simplicidade, calma e tranquilidade. Geralmente é utilizado em combinação com outras cores para reforçá-las e fazer com que elas tenham mais destaque

Cinza 

Outra cor neutra. Mais comum em combinação com outras cores, podendo ser apresentada em tonalidades prateadas, o cinza é muito empregado para ressaltar a solidez e a modernidade de um produto.

Rosa

Tons mais claros de rosa estão relacionados à tranquilidade, delicadeza e romantismo, enquanto aqueles mais fortes dão a sensação de urgência e são adotados para chamar a atenção.

Marrom

Para quem precisa transmitir a sensação de sofisticação e elegância, a recomendação é o marrom. Ele também se relaciona com a natureza e com a ideia de rusticidade, resistência, estabilidade, casa, terra, ar livre.

Claro que este texto é apenas uma pequena introdução para a psicologia das cores, que é um assunto complexo. O importante, no entanto, é compreender sua existência e importância na estratégia de fortalecimento de uma marca e não deixar isso de lado no seu negócio.

Para continuar estudando um pouco mais sobre o assunto, curta nossa página no Facebook e fique sabendo quando novos conteúdos como este forem publicados.