Diariamente, a logística assume um papel cada vez mais estratégico nos resultados de um negócio. E é nítido como esse setor avança em ritmo acelerado, seguindo as novidades de diversos ramos da tecnologia.

Muitas vezes, é normal ficar perdido em meio a tantas ferramentas novas. No entanto, é importante compreender que elas podem trazer ganhos de produtividade e eficiência, simplificando atividades que antes demandavam um esforço maior para serem realizadas.

Com o intuito de apresentar diversas inovações que ganham espaço no mercado, listamos, neste post, as principais tendências em logística. Acompanhe!

1. Entrega por drones

Drones são pequenos veículos aéreos, não tripulados, controlados remotamente que se tornaram conhecidos recententementeEles já são usados em outras atividades, como em registros audiovisuais, por exemplo.

Pensando em maneiras de melhorar seus serviços, a empresa norte-americana Amazon idealizou um sistema de entregas utilizando drones. Com esses dispositivos, as entregas seriam feitas de forma mais rápida e barata, principalmente em grandes cidades que possuem o trânsito complicado.

No entanto, ainda existem entraves para a disseminação dessa tecnologia. Alguns deles são as restrições de peso e volume que podem ser transportados e a ausência de legislação específica para a utilização dos drones. 

2. Entrega por carros elétricos

Como a sustentabilidade é um item presente na pauta de várias empresas, diminuir a emissão de gases poluentes na hora de transportar cargas é uma necessidade. Por isso, a adoção de carros elétricos é uma tendência com grandes chances de emplacar.

Além de ser uma tecnologia consolidada e ambientavelmente responsável, veículos movidos a eletricidade oferecem redução de gastos, já que a energia que os abastece é mais barata que os combustíveis. 

A desvantagem fica por conta da baixa autonomia desses automóveis. Como as recargas de bateria são frequentes e demoradas, as entregas ficam limitadas a distâncias curtas.

3. Logística verde

Essa é outra tendência oriunda da preocupação com o meio ambiente. Na logística verde, todos os processos logísticos, do armazenamento até a entrega, são repensados para reduzir o impacto na natureza. 

A logística verde caminha paralelamente com outras práticas, como a logística reversa, em que a empresa fabricante de determinado produto cuida também do seu recolhimento após o uso pelo cliente.

4. Utilização de veículos autônomos

Você certamente já viu notícias sobre os veículos autônomos, os tais carros sem motorista. Embora a tecnologia ainda se mostre incipiente, certamente ela poderá ser utilizada para fazer entregas.

Serão vários os benefícios: redução de custos, entregas mais velozes e a diminuição de acidentes causados pelo cansaço, falta de habilidade ou imprudência dos condutores humanos.

5. Internet das Coisas

Outro termo que ganha popularidade nas notícias de tendências de logística é o de Internet das Coisas (IoT, na sigla em inglês). Com a IoT, dispositivos de diversos tipos se conectam à rede e podem ser gerenciados ou monitorados remotamente por meio de computadores, tablets e smartphones.

Na logística, essa tecnologia pode ser amplamente aproveitada. Será possível monitorar a movimentação de produtos e acompanhamento de processos sempre em tempo real, com dados atualizados a todo instante. 

Isso permitirá a tomada de decisões mais rápidas e a identificação de possíveis falhas em qualquer um dos estágios do processo de entrega.

6. Entrega antecipada

Imagine disponibilizar um produto de modo que ele fique o mais perto possível do cliente, antes mesmo que a compra seja efetuada? Por mais surreal que pareça, esse é o objetivo das entregas antecipadas.

Por meio da coleta de dados de clientes, ao longo do tempo, são feitas previsões sobre suas decisões de compra. 

Durante a coleta, vários quesitos são observados, como o número de vezes que determinado produto foi visualizado ou quanto tempo o consumidor passou em cada página do site.

A partir do momento em que um interesse é detectado, o produto sai do estoque rumo ao centro de distribuição mais próximo do cliente. Caso a compra seja concretizada, a entrega que poderia levar alguns dias, será entregue no intervalo de horas.

Embora fique restrita aos grandes centros urbanos e possua custo elevado, certamente haverão consumidores interessados em pagar mais caro por uma entrega extremamente veloz.

7. Entrega compartilhada

Várias empresas vêm se aproveitando da economia compartilhada para reduzir custos, inclusive com logística.

A Uber, por exemplo, além do serviço de transporte de passageiros, já testa utilizar parte dos motoristas para a entrega de pequenas encomendas.

Ou seja, compartilhar entregas consiste na ideia de utilizar frotas terceirizadas para fazer o produto chegar ao seu destino. Tal opção permite economizar com custos de manutenção dos veículos e encargos trabalhistas e pode ser ampliada para outros setores, como o de armazenamento.

8. Automatização de processos

A automatização consiste na substituição da mão de obra humana por máquinas e computadores em processos ou atividades repetitivas.

Além de ganhos com produtividade e eficiência, essa troca diminui o risco de erros e acidentes na hora de movimentar as mercadorias no estoque.

9. Logística 4.0

A logística 4.0 não se resume a utilização de apenas uma ferramenta tecnológica. Ela trata da implementação de sistemas e processos modernos em toda a cadeia.

Entre as suas principais características, podemos citar o acompanhamento em tempo real, a virtualização de todo o processo e a descentralização das atividades.

10. Impressão 3D

E se fosse viável produzir localmente, dispensando a necessidade de transportá-los por longas distâncias? Essa é uma realidade que pode se tornar comum com as impressoras 3D, que imprimem modelos e estruturas tridimensionais, como peças e objetos.

Pense na seguinte situação: um carro quebrado demanda a importação de uma peça para ser reparado. Com alguma sorte, essa peça vai demorar algumas semanas para chegar ao destino.

Nesse caso, a solução seria imprimir a peça com uma impressora 3D em um centro de distribuição próximo à localidade onde houve a solicitação. Em poucos dias, ela estaria disponível para ser colocada no carro.

Além da velocidade, a impressão 3D diminuiria a necessidade da manutenção de grandes estoques de determinados produtos, cuja produção aconteceria de acordo com a demanda.

É normal se sentir desconfiado com essas tecnologias que parecem ter saído de obras de ficção científica. É preciso perceber também que às vezes não conseguimos prever quais delas realmente se consolidarão. Contudo, conhecer as principais tendências em logística é fundamental para não ser atropelado pelo futuro quando ele chegar.

Achou as novidades interessantes? Então compartilhe este post com seus amigos nas redes sociais!